Archive for outubro, 2012

outubro 26th, 2012

É 10!

by ShaialaMarques

Ontem foi a minha banca da especialização. Preciso, entretanto, fazer algumas considerações.

Em 2009 descobri esta especialização em Direito dos Contratos e Responsabilidade Civil da Unisinos. Eu tinha recém me formado e estava planejando meu casamento. Não poderia de forma alguma fazer o curso naquele momento, mas sempre esteve no meu coração.

Quando recebi a notícia de que a OAB/RS havia feito um convênio para dar desconto aos advogados nas pós-graduações da Unisinos, fui correndo ver se aquele curso estava aberto. E minha grande surpresa foi de que estava. Depois de orar, conversar e fazer contas, eu marido decidimos que a hora era aquela! Eu iria fazer o curso que sonhava!

Não foi fácil. Voltar a estudar, ter aulas à noite, se dedicar para fazer papers, administrar o novo conhecimento…não é fácil mesmo.

Desde o início do curso eu já havia manifestado meu interesse na área de eventos, mais especificamente casamentos. E acabei direcionando toda a minha pesquisa do curso para este tema. Para a monografia, não tinha outra alternativa para mim senão “O Contrato de Prestação de Serviços em Casamentos”.

Para fazer esta monografia, entrevistei diversas cerimonialistas e organizadoras de casamentos, escolhidas à dedo por sua forma de trabalho e seu reconhecimento no mercado. O que elas incluíram para a minha vida foi muito mais do que informações para um trabalho acadêmico. Ganhei lições de vida e algumas amigas e apoiadoras.

Depois foi a fase de “mergulhar nos livros”. E mergulhei mesmo – sempre com mais de 15 livros, eu lia, colocava clips e realizada apontamentos em papéis. Uma fase em que precisei muito do auxílio da amiga Daia Colnaghi, que na época ainda estava na espera do Léo nascer. Vivia nas bibliotecas, consultando livros, pegando livros novos e entregando os que já estavam comigo.

Foram detalhes, acertos, trabalho, leitura, pesquisa, revisão. Eu mesma fiz as correções e formatei segundo a ABNT. E apesar de diversos contratempos e situações tristes durante este percurso, consegui terminar. OK, foi necessário mais prazo, mas foi entregue.

Depois de tantas dificuldades e tanta dedicação, ontem recebi o grau máximo. 10! Sim, 10! Apesar de tudo, não esperava receber esta nota. Mas agora me sinto mais-que-feliz, satisfeita, reconhecida.

Contei com o auxílio dos meus pais e do meu maridão e sei que a vitória também é deles. Cada dia que meus pais me levaram na aula ou me buscaram, sempre manifestando apoio, cada dia que meu marido estava cansado mas vinha em casa me buscar correndo pra eu não atrasar muito ou quando estava com sono e ainda assim me buscava na aula, cada dia em que tivemos de comer alguma coisa fora porque eu estava muito cansada e não ia ter condições de fazer janta…tudo isso gerou este resultado positivo. Obrigada!

Obrigada ainda aos meus amigos que me apoiaram e deram força, em especial às #F4R e aos amigos do DN (que entenderam minha ausência). Obrigada também à minha orientadora Cristina! Obrigada às minhas sobrinhas Pâmela e Yasmin que ontem deram todo o apoio que uma tia poderia precisar!

Agora é curtir e mostrar ao mundo que, sim, eu amo casamentos e quero trabalhar para colocar todo o resultado da minha pesquisa na prática!

 

Share on Twitter
Share on LinkedInShare via email
outubro 22nd, 2012

Rapsódia Contratual

by ShaialaMarques

Quase como quando alguém se apaixona, o contrato começa. Duas vontades – uma de contratar, outra de ser contratado – se encontram. O “namoro” pode demorar, pode ser rápido, pode ser imediato…essas são as negociações. Propostas, contrapropostas, idéias. Mas uma hora tudo fica ajustado e o contrato vai ser celebrado!

O advogado, ou no meu caso, a advogada, começa a estudar a questão e com amor cada detalhe vai sendo definido. Sim, como uma boa comidinha de mãe, a diferença está no amor (e não me refiro a um certo tempero).

Os nomes e qualificações ficam no topo, deixando claro quem está entrando nesta jogada. Detalhes que são importantes, nos fazem saber com quem estamos lidando e, ali, estamos expostos nos dados pessoais. É como quando o jogo de futebol inicia e o narrador diz os nomes do jogadores entrando em campo, com o delírio da torcida.

A cláusula primeira vai dizer sobre o que estamos, afinal, contratando. O papel aceita tudo…pode ser um serviço de malabares vestidos de palhaço zumbi? Claro. Pode ser a construção de uma miniatura da pirâmide do Faraó Quéops? Sim. Pode ser a produção de 80 roupinhas de marinheiro para cachorros da raça pinscher? Sem dúvida. O serviço ou o produto vai ficar ao seu critério e à sua vontade. E se estamos fazendo algo nesta vida, porque não fazer algo criativo?

Mas as particularidades de um contrato não acabam aí. As cláusulas seguintes vão falar sobre como as coisas serão dali pra frente. Pagamento, obrigações, multas e cláusulas penais. Sim, tudo está aí, para deixar claro como este relacionamento se desenrolará. Afinal de contas, são expectativas geradas, promessas veladas, reputações em jogo e uma série de detalhes minúsculos, jurídicos ou não, declarados ou não, subjetivos ou não.

Aos advogados cabe a nobre tarefa de lapidar o contrato como um artesão habilidoso em um majestoso mármore de carrara. Lapida-se não apenas os termos, mas cada pormenor desta relação contratual, e são relações como essa que movem o mundo (e até agora,  o que você achava que movia?). Sejamos honestos, a advocacia também se relaciona ao aconselhamento, uma força para que aquelas pessoas consigam o que querem – e isto vai muito além do papel que será assinado! O advogado é o guia conhecedor, que levará os contratantes a um caminho de êxito, auxiliando e contando as histórias de cada fase desta jornada.

A jornada contratual está avançando e a minuta está pronta. As partes analisam como um cientista verifica sua lâmina de microscopia e ajusta o que mais será necessário. Assinadas, rubricadas, cumprimentos efusivos e sorrisos. Não, não acaba aí.

Os acertos finalmente viram prática, e ainda estamos tratando de uma rapsódia contratual. Mas em um mundo perfeito, as partes levam para si aquele papel e o utilizam como guia de comportamento. O que farão, o que não farão e as consequências de cada coisa estão lá, e vão cumpri-lo com a certeza de que firmaram naquele dia o que realmente tinham idéia de realizar. O bom advogado fará tudo de forma clara, para que ninguém tenha dúvidas e todos sabem bem o que assinaram. A prestação acontece. O objeto entregue. Tudo está no lugar que deveria!

A advogada aqui fica feliz e satisfeita de ver mais clientes satisfeitos, felizes e repletos de bem-estar. Este é o mundo em que eu decidi trabalhar.

Share on Twitter
Share on LinkedInShare via email
outubro 11th, 2012

Assinar sem ler: não caia nesta!

by ShaialaMarques

Recebi de um cliente um relato intrigante. Ao comprar seu apartamento, fora aconselhado a apenas assinar o documento contratual, e não lê-lo.

Não caia nesta cilada!

Pense que se você está se comprometendo a algo, precisa analisar com cuidado a situação. E não se deixe levar por bons vendedores, cada detalhe deve estar acertado! Mesmo que a situação lhe obrigue a firmar um contrato verbal, é indispensável definir como as duas partes vão agir para fazer acontecer aquilo que fora acordado!

Então, lembre-se – contrato é coisa séria. Precisa ser lido e relido. Se tiver dúvidas, pergunte. Se não estiver seguro, não assine!

Share on Twitter
Share on LinkedInShare via email
outubro 5th, 2012

Eleições: cuide quem você vai contratar!

by ShaialaMarques

Domingo você poderá eleger o seu representante, você já havia se dado conta disto?

Ele será sua voz na prefeitura de sua cidade ou na câmara de vereadores.

O prefeito é o chefe do Poder Executivo em sua cidade, já os vereadores formarão a expresão do Poder Legislativo municipal. Não quero criar aqui um grande post ou um texto de esclarecimento, mas quero levá-lo à reflexão.

Você está contratando alguém para cuidar de sua cidade e por isso precisa ser atento. Pense como se estivesse contratando novos gerentes para a sua empresa e exija os mesmos requisitos caso estivesse admitindo alguém. Segue abaixo algumas dicas para você selecionar o candidato ideal:

 

1 – Escolha o partido

Você me dirá aqui “Ei, Shaiala! Eu quero um candidato, não um partido!”, mas não esqueça que geralmente as decisões são tomadas conforme as orientações que o partido aprova. Assim, procure pesquisar no site oficial do partido (ou partidos) de sua escolha quais são suas diretrizes, programas e posturas. Procure também no Google o nome do partido para descobrir o que tem sido comentado sobre ele, seja positivamente ou negativamente – você precisa levar isto em consideração também.

 

2 – Escolha um perfil de candidato

Selecione também o perfil da pessoa que você quer que lhe represente. Mulher? Homem? Com ensino superior? Nascido na sua cidade? Escolha seus critérios e selecione aqueles que estejam conforme suas idéias.

 

3 – Veja as suas plataformas de governo

Procure na internet o vídeo da propaganda política em que aparece seu candidato e veja suas plataformas. Suas propostas devem ser coerentes com o cargo! Não esqueça que aquele que promete muito não terá tempo de cumprir quase nada. Veja ainda se aquilo que ele propõe pode ser de fato feito pelo seu cargo. Cuidado, por exemplo, com candidatos a prefeito que prometem muita segurança, afinal de contas, é competência do governo do estado a guarda civil, sobrando apenas a guarda municipal ao prefeito e esta pouco pode agir.

 

4 – Pesquise o nome de seu candidato no Google!

O Google é um excelente ferramenta para você descobrir mais sobre seu candidato. Coloque o nome dele na pesquisa e veja o que você pode encontrar. Sites da campanha podem ser úteis, mas o mais importante são exatamente locais onde a informação não seja tão “bonitinha”, como redes sociais e sites alternativos de notícia. Por mais que algumas coisas possam ser implantadas na internet para difamá-lo ou até mesmo blogs e sites que se oponham a ele possam fazer campanha contra, você encontrará diversos dados que podem, inclusive, fazê-lo mudar de idéia.

 

5 – Evite candidatos que enchem sua cidade de propaganda

Época de eleições geralmente é marcada pela sujeira nas ruas. Cavaletes, cartazes, panfletos no chão…isso demonstra alguma seriedade para você? Quem muito polui a cidade demonstra seu descaso e desrespeito ao seu possível local de trabalho e uma afronta ao seu empregador, o povo!

 

6 – Ele foi eleito nas eleições anteriores? Confira como foi sua atuação!

Diversos sites de transparência trazem todas as informações sobre o seu candidato. Pesquise! Entenda como ele agiu, compare o número de propostas que ele enviou, como foram seus gastos, qual a relevância de seu trabalho e considere!

 

7 – Não escolha o mais engraçado, mas o mais sério

Diversos candidatos utilizam do argumeto humorístico para chamar a atenção. Você contrataria um gerente que aparece com palhaçadas em sua entrevista de trabalho? Considere!

 

 

Espero ter auxiliado você a encontrar um candidato ideal! No próximo domingo, vote consciente! Não ache que é perda de tempo pesquisar por um candidato perfeito, mas faça isso com cidadania!

Share on Twitter
Share on LinkedInShare via email