Posts tagged ‘orgânico’

fevereiro 25th, 2013

Voltando com crônica: contratos e sua organicidade

by ShaialaMarques

Estudar contratos é estudar pessoas.

Se o contrato é uma relação, então as coisas mais importantes que fazemos nesta vida são contratos. E os contatos são contRatos, por incrível que pareça, que se delineam em suas formas de comunicação, ligação, afeto e vida.

Talvez você pense que contratos são coisas extremamente jurídicas, mas não são. Eles são desenvolvidos pela vida, pela ligação que desejamos criar com as outras pessoas, sejam eles comerciais ou não. Não é estranho desenvolver um estudo sobre um contrato de compra e venda, por exemplo, e ver que ele tem características de uma relação de amizade.

Não consigo entender pessoas inteligentes e letradas que não conseguem perceber que o contrato é algo orgânico e natural, proveniente do próprio existir, formado pelas vontades e, após tudo isso, protegido pela lei conforme suas características especiais.

O contrato não surge com advogados ou mestres, surge com da forma mais natural possível. Assim como o falar não é ensinado pelos linguistas, apesar de poder ser estudado por eles, o contrato é ensinado a nós quando começamos a travar nossas primeiras relações interpessoais. Você empresta um brinquedo ao amigo, você divide um lanche, você começa uma amizade – e você já realizou contratos.

Aos pais e educadores cabe a árdua tarefa de ensinar a criança como estes contratos da vida funciona. A inserir no interior de uma pessoa os princípios da boa-fé, da autonomia da vontade, função social e tantos outros. Algo que as pessoas imaginam pertencer apenas ao estudo acadêmico do direito na verdade é aquilo que devemos caregar para a vida, para o bem estar.

Dividir os mundos e achar que estão separados entre o “real” e o “direito” é um erro crasso, uma falha que não pode ser realizada. Se divido, entende-se que é algo anti natural, forçado, criado e definido por algum advogado. Se entendido e relacionado, mostra-se verdadeiro, simples, fiel à vivência e à vontade.

Assim como você recebe ajuda com os seus pais para relacionar-se, e dos seus professores para aprender as mais diversas matérias da escola, o seu advogado tem que ser alguém que entende esta tarefa e auxilia você nestas relações, dando o conhecimento que você ainda não possui, o conselho que pode fazer tudo ficar mais claro e simples.

E, não se esqueça – você não nasce sabendo como relacionar-se….nem como contratar.

Share on Twitter
Share on LinkedInShare via email